quinta-feira, 11 de junho de 2009


2

"..compreendo como é se sentir pequeno e insignificante como ser humano. Como isso dói em lugares que nem sabíamos existir lá dentro. E não importam seus novos cortes de cabelo, suas novas academias, nem os copos de Chardonnay que beba com as amigas; quando se deitar, continuará relembrando cada detalhe, e se perguntando o que fez de errado ou porque não percebeu. E como pôde, por aquele breve momento, achar que era feliz? Pode até se convencer que ele vai se tocar e aparecer na sua porta.
E depois de tudo isso, seja lá o tempo que demorar, você vai para um lugar diferente e conhece gente que a faz se sentir querida, e os pequenos pedaços da sua alma finalmente retornarão. E toda aquela bagunça, todos aqueles anos que você perdeu na sua vida começarão a desaparecer."

:*

2 Comentários =):

Pry Crepalde disse...

amiga liinda, tô te seguiindo ;D

Jaqueliny Euzébio disse...

A minha maior frustração é quando eu penso que está passando e coisa vonta com força total. Dá uma vontade de sair correndo, gritar para o nada ou me acabar em álcool e nicotina - mas nem isso surte um alivio.

Saudade de passar aqui no seu blog! :D